Quem vai administrar a empresa e os negócios deixados por Amy Winehouse?

Olá amigos empreendedores, tudo na paz com vocês?

Quero agradecer a todos que estão sempre conosco e aos novos leitores porque esse final de semana, passamos mais uma vez, das 5 mil visitações no mês.

Antes de começar a matéria, eu quero saber se você está preparado(a) para realizar os seus sonhos? Prestem bastante a tenção porque, as vezes nós mesmo nos boicotamos quando as coisas estão prestes a acontecer em nossa vida.Temos que está muito ligados para que isso não aconteça.

Hoje, quero falar sobre Amy Winehouse.

Mas, não sobre a sua morte.Quero mostrar o seu lado empreendedor e o império que ela deixou através da sua marca.

A cantora já havia lucrado em média US$ 33milhões, mais de 12 milhões de discos, cinco prêmios Grammy, e ainda vendia muitos produtos através da sua marca. Sendo que, nos últimos meses já havia perdido uma parte desse total porque vários de seus shows pelo mundo tiveram que ser cancelados.Mesmo assim, ainda existe muita grana deixada por ela.

Quando a industria da moda percebeu que Amy Winehouse era uma it girl aproveitou disso para faturar junto com ela.Você sabe o que significa it girl? Não sabe? Não é possível isso,rs.( porque eu só fiquei sabendo ha pouco tempo,rs) É um termo usado no mundo da moda para mulheres que conseguem influenciar muitas outras, com o seu estilo de vida e forma como se veste. Tô certo Carol Peclat?( minha amiga do blog http://www.useitanamoda.blogspot.com/ que entende tudo de moda)

Vendo que Amy era uma it girl, a marca  britânica de roupas esportivas, Fred Perry, convidou-a para desenhar uma linha de roupas, no passado.

Ela criou vestidos, blusas  saias e acessórios inspirados em seu próprio estilo. A linha foi batizada de “Amy” e as peças custavam entre 55 libras e 275 libras. Mas, como não poderia ser diferente em se tratando de Amy Winehouse, a grife teve apenas duas coleções.

Ainda não se sabe se a marca continuará a existir, uma vez que ela era quem desenhava os modelitos.

Amy, ainda como todos os grandes cantores que conseguem fazer sucesso nessa industria e que tem espirito empreendedor, ela criou a sua própria gravadora a “Lioness Records”.

Segundo a Universal Music Brasil, a gravadora da cantora no País, só no fim de semana de sua morte foram vendidos cerca de 100 mil títulos entre CDs e DVDs. Mais 300 mil unidades das duas mídias estão sendo impressas para suprir a demanda dos fãs órfãos. Seu segundo álbum voltou rapidamente à lista dos 100 mais vendidos do Reino Unido. Especialistas garantem que as vendas vão crescer ainda mais.

Basta saber agora, quem vai administrar todo esse império e se saberão ganhar mais dinheiro com a marca “Amy Wine House”

É isso meus caros…Fiquem todos na paz!!!!

E se quiserem clicar em CURTIR, indicar o blog aos amigos, ficarei muito feliz,rs.

Inté mais!!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>