Mau Mau( Ex-BBB) lança a sua marca de óculos e conversa com o F&E!

Saudações amigos!

Hoje vamos mostrar o papo que tivemos com o jovem empresário, Mau Mau que é ex participante do Big Brother Brasil. Ele mostra que entende bem do mercado onde atua, fala sobre suas finanças,marketing,sociedade entre outros assuntos.

F&E – Você é de família de classe média, correto? Na sua casa os seus pais falavam sobre dinheiro abertamente? Questões sobre como economizar a sua mesada, por exemplo?

Sim, meu pai como bom economista sempre falou e fala comigo e com meu irmão: “guardem dinheiro e economizem, pois não é fácil ganhar dinheiro e nunca sabemos o dia de amanhã”. Talvez eu e meu irmão devêssemos pôr mais em prática os ensinamentos do nosso “guru”, rs.

F&E – Lembra a idade que tinha quando ganhou o seu primeiro cachê, em que situação, quanto foi e o que fez com ele?

A idade do primeiro cachê não lembro ao certo, mas foi algo clássico de algum trabalho como modelo, passar por teste, ser aprovado, fazer o trampo e tentar economizar pelo menos 20% do que foi ganho.

F&E – Atualmente, você se considera uma pessoa que sabe administrar bem as suas finanças?

Acho que posso melhorar muito, queria ter puxado meu pai nesse quesito, ter tudo anotado, mas, não tenho muita paciência para sentar e fazer contas, como sou formado em Marketing, sempre gostei mais da parte de criação, publicidade, desenvolvimento de produto, promoção, enfim, o lado mais dinâmico do negócio.

F&E – O seu primeiro empreendimento depois saiu do BBB foi uma banda musical, correto? Antes disso você já tinha investido em algum empreendimento?

Na verdade a banda já existe desde 2005 e quando saí do Big Brother, só continuamos com o projeto. Na mesma época das entrevistas pré BBB, eu estava fazendo pesquisa de mercado e analisando possibilidades de franquia ou bandeira própria, a ideia era um bar ou um quiosque de cervejas importadas.

F&E – Você acabou de lançar a sua marca de óculos. Porque você escolheu óculos e não outra coisa?

A escolha não foi uma coisa premeditada, na verdade foi uma oportunidade de negócio que apareceu e agarrei. Em uma parceria com um grande amigo de Belo Horizonte, João Paulo Picoreli, estamos almejando novos horizontes e expansão gradativa e calculada do negócio; já com uma loja física no “BH Shopping” e 300 pontos de venda pelo Brasil, nesse momento estamos executando uma estratégia de penetração em uma nova cidade, Rio de Janeiro, como vivemos um momento incerto economicamente, mais do que nunca é fundamental fazer a análise “swat” de todo cenário, onde avaliamos 4 pontos: nossa força, fraqueza, oportunidade e ameaça. O atual momento exige mais cautela do que o de costume.

F&E – Você mesmo administra a parte das vendas, promoção e entregas dos produtos?

Para realização de um trabalho com primor é preciso formar uma boa equipe, quando distribuímos e dividimos os a fazeres, conseguimos desenvolver com maior eficiência e eficácia cada uma delas. É fundamental saber de tudo e de todas as etapas do seu negócio, trabalhamos em grupo, conto com dois amigos que também entram comigo nessa e que fazem toda diferença, Thiago e Felipe são os responsáveis pelas vendas e pesquisa de campo no ponto de venda priorizou qualidade ao invés de quantidade, posso contar com um altíssimo padrão de qualidade não só no atendimento, mas na apresentação da marca, educação, desenvoltura pro diálogo, além da determinação e confiança que tenho com eles. Graças a isso, posso trabalhar com maior tranqüilidade nos setores que mais gosto, no marketing e logística.

F&E – Antes de lançar essa marca você fez um estudo do mercado para saber quem são os seus concorrentes, conceito e público alvo?

Claro! O maior medo quando se abre um negócio,  é o medo de não dar certo, então é essencial minimizar ao máximo todo e qualquer tipo de risco que possa vir ocorrer. Como disse anteriormente, a análise “swat” é figura certa dentro dessa pesquisa, quando nos conhecemos conseguimos lidar melhor com os outros é com nós mesmos, com uma marca não é diferente, você precisa saber quais são seus pontos fortes e fracos, do seu concorrente também, analisar os quatro “Ps” (produto, preço, promoção e ponto de venda), enfim, pesquisar é sempre a melhor forma de adquirir conhecimento e fundamental para ingressar em qualquer segmento.

F&E – Você investe em outras áreas de negócios (mercado de ações,imóveis, tecnologia entre outros)?

Já investi um tempo no mercado de ações, acho um excelente caminho para quem se dedica a estudar a fundo e “entender” a loucura do agitado mercado de ações.
Sobre imóveis, atualmente eu e meu sócio, Rafa Oliveira (BBB), estamos em busca e já analisando terrenos para construção de uma pousada. Novos horizontes, novas experiências e novos desafios.

F&E – Acredita em sociedade no mundo dos negócios?

Acredito em pessoas, nos valores que as formam, caráter e índole. Apesar de vermos com constância casos de quebra de confiança, ainda acho que o maior bem que possamos ter, é o próprio ser humano. O objetivo de uma sociedade e somar forças em prol de um mesmo objetivo, porém, como o mundo anda cada vez mais maluco, é sempre bom por o preto no branco, pois como diz o ditado: “o combinado não sai caro”.

F&E –  Muitos jovens que começam a empreender têm problemas em deixar claro o quê e quanto cada um tem de direitos e deveres na empresa, porque falar sobre isso é chato, segundo eles. Vocês sabem separar a amizade dos negócios?

Como disse anteriormente, estamos lidando com seres humanos em primeira instância, logo os valores que o formam como ser humano, são os mesmo aplicados em qualquer situação. Quando  decidi formar a equipe, pensei primeiramente nos atributos que eu precisaria pra atender minhas expectativas, acredito que os anos de convívio com esses amigos, me fizeram conhecê-los mais como pessoas e me fizeram admira-los pelas qualidades não só profissionais, mas como seres humanos exemplares, jamais deixariam a desejar em nenhum quesito; primeiro procurei os que poderiam se adequar ao horário de trabalho, depois busquei valores que reconheci em ambos em situações cotidianas e diversas da vida, vejo uma equipe honesta, ética, pontual, educada, divertida, irreverente, comprometida e o mais importante, por mais que minhas expectativas sejam altas, eles tem feito por onde supera-las!

F&E – Qual a importância das redes sociais para o seu trabalho?

As redes sociais são de suma importância não só para o meu negócio, mas para maioria das áreas,  principalmente no comércio, onde as tendências e coleções são tão dinâmicas quantos os posts online. Hoje o público que mais consome no comércio,  é o mesmo público que consome mais bytes nas redes sociais, a troca dinâmica de informações faz com que a notícia se espalhe e que a moda conquiste o cliente antes mesmo de experimentar o próprio produto, basta bolar uma estratégia bacana de mídia online ou e-comerce.

F&E – Qual o lado bom e o mais difícil de ter ficado conhecido através do BBB?

Graças a Deus não consigo enxergar um lado difícil depois de ter vivenciado tal experiência. Sempre busco um prisma positivo de qualquer situação adversa, tenho saúde, uma família maravilhosa, amigos que choram comigo, tenho um teto onde dormir e graças a Deus nunca passei fome, nunca fui rico financeiramente, mas me considero milionário, por poder enxergar a vida dessa forma, poder ajudar cada vez mais pessoas e ter ampliado o número de pessoas ímpares que entraram na minha vida por causa do Big Brother. Lá fiz grandes irmãos, como sugere o nome do programa, vivi emoções que só afloram em sonhos, tive a oportunidade de viver um sonho com os pés no chão,  ao lado de pessoas incríveis que não só fizeram parte da minha história, mas sim, pessoas que juntas criaram uma história imortal para cada um de nós.

F&E – Você é muito engajado em causas sociais. Sempre foi assim?

Sempre fui assim e não tenho dúvidas que toda parte que há de bom em mim, devo 100% a uma criação exemplar do meu pai, mãe e irmão, que desde sempre me muniram de carinho e amor, me mostravam que a vida é muito mais difícil pra muita gente e somos todos irmãos perante o olhar de Deus, fizeram questão de me formar com valores e princípios que infelizmente vejo se perderem com o passar das horas. Desde pequeno acompanhei minha mãe em ações sociais e quando dei por mim, ja estava encabeçando grupos para plantio de mudas de árvore, arrecadando donativos para instituições, cada vez mais engajado com causas sociais e o mais importante, honrando toda criação da minha família, deixando-os orgulhosos e podendo retribuir pequena parte de tudo que fizeram por mim.

F&E – Você poderia dar uma dica para os jovens que querem entrar para o mundo dos negócios?

O que mais surpreende é o homem, pois perde a saúde para juntar dinheiro, depois perde o dinheiro para recuperar a saúde. Vive pensando ansiosamente no futuro, de tal forma que acaba por não viver nem o presente, nem o futuro. “Vive como se nunca fosse morrer e morre como se nunca tivesse vivido.” – Dalai Lama.

Busque sempre ao máximo trabalhar com algo que funcione de forma natural, que te traga satisfação, que te atraia não pela receita do fim do mês, mas pela satisfação de realizar tal atividade, então assuma um padrão e conceito de vida que sejam intimamente atrelada e viva com qualidade de vida. Parece meio clichê, mas o tempo é uma raposa e realmente a vida passa voando, a correria dos ponteiros do relógio no mundo dos negócios pode acabar te fazendo virar prisioneiro de um mundo frio e um conceito capitalista que de forma sorrateira e imperceptível acaba te afastando das pessoas e coisas que realmente fazem a vida valer a pena.

F&E Quem tiver interesses em conhecer mais sobre você e o seu negócio, onde deve procurar?

Site: maumau.com.br
Facebook.com/JoahMauMau
Instagram / Twitter: @MauMauJoah

F&E Ficou faltando perguntar algo e que você gostaria de comentar?

Gostaria de agradecer pela procura e interesse da entrevista, agradecer também aos que leram, que compartilharam ou compartilharão. Acreditem no sonho e lutem muito, busque ser melhor não só por você, mas pelo mundo, torne-se honroso e seja a pessoa que você gostaria de conhecer e que dê orgulho a uma força maior, pois estamos aqui só de passagem e “existem mais coisas entre o céu e a terra, do que sonha nossa vã filosofia”.

Agradeço ao Mau Mau pela entrevista e por ter sido muito gentil durante todo o tempo que nos comunicamos!

E vocês o que têm a dizer?